Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Quarta-feira, 28 de Março de 2012

Os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira que, pela primeira vez, as novas centrais eléctricas vão ter um limite às emissões de dióxido de carbono (CO2), num passo histórico na luta contra as alterações climáticas.

A proposta exige que as novas centrais não emitam mais do que 453 kg CO2 por megawatt-hora (MWh) de electricidade produzida. Actualmente, segundo o jornal Washington Post, as centrais a gás natural emitem em média entre 362 e 385 kg CO2/MWh e as unidades que funcionam a carvão emitem em média 802 kg.

O novo limite deixa de fora as centrais eléctricas actualmente a funcionar e aquelas que forem construídas nos próximos 12 meses.

A Agência de Protecção Ambiental norte-americana (EPA, na sigla em inglês) acredita que 95% das centrais a gás natural de ciclo combinado conseguirão cumprir a meta sem problemas. E as centrais que funcionem a carvão ou coque (derivado do carvão betuminoso) conseguirão fazê-lo se instalarem tecnologias de captura e armazenamento de carbono.

A proposta, segundo a EPA, é flexível. As novas centrais que usarem captura e armazenamento de carbono têm a opção de cumprir o limite num prazo de 30 anos, em vez de serem sujeitas a uma avaliação anual. “Uma central pode emitir mais CO2 nos primeiros dez anos e depois muito menos nos outros 20, desde que a média dessas emissões cumpra o limite”, explica a agência, num comunicado publicado no seu site.

Actualmente, as centrais eléctricas que funcionam a combustíveis fósseis são os maiores emissores de Co2, um gás com efeito de estufa que, “ao causar ou contribuir para as alterações climáticas, ameaça tanto a saúde pública como o bem-estar das actuais e futuras gerações”, escreve a agência. Mas de momento ainda não existe um limite para essas emissões a nível nacional. Ainda assim, alguns estados – como Washington, Oregon e Califórnia – já impõem limites às emissões de gases com efeito de estufa. Outros, como o Montana e Illinois, exigem às centrais a carvão que instalem sistemas de captura e armazenamento de carbono, segundo a EPA.

Esta proposta – que entrará em consulta pública durante 60 dias – tem origem numa directiva de 2007 do Supremo Tribunal que chamava a EPA a decidir se o CO2 era ou não um poluente no âmbito da Lei do Ar Limpo. No final de 2009, a agência declarou que era e que, por isso, tinha de ser regulado.

A medida foi aplaudida por organizações ambientalistas, ainda que algumas tenham ficado decepcionadas por deixar de fora as centrais já a funcionar.

Rick Santorum, candidato presidencial republicano e apoiante da indústria do carvão, criticou a proposta. “A agenda ambiental do Presidente Obama está a matar os postos de trabalho dos americanos”, citou hoje o jornal New York Times. “A América é a Arábia Saudita do carvão e poderíamos criar a nossa própria energia se o Governo nos deixasse. Em vez disso, Barack Obama prefere apontar vencedores e vencidos no campo energético.”

 

 

Fonte: Ecosfera, Público

publicado por saqv_ps às 12:40

Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

Quando: 17 de Fevereiro de 2012, 9h30-13h

Onde: Palácio Valenças, Sintra 

  • O que tende a impedir o relançamento da atividade económica do sector energético? Como o dinamizar? Quais os constrangimentos?
  • Será que é importante reforçar o papel dos Gestores Municipais de Energia?
  • A eficiência energética constitui de facto o melhor caminho para a dinamização das PME’s relacionadas com o sector energético

Estas são algumas das questões que serão alvo de debate no Fórum organizado pela RNAE, Associação das Agências de Energia e Ambiente - Rede Nacional.

 

Mais informações: rnae.portugal@gmail.com

 

publicado por saqv_ps às 08:37

Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

Conferência Rede Procura+ Portugal: Capacidade básica em Compras Públicas Sustentáveis

 

Quando: 22/03/2012

Onde: Sede da Lipor (Porto)

 

Objetivos: Contribuir para o aumento de competências na área das compras públicas sustentáveis e apresentar oportunidades de cooperação através do projeto Building-SPP e Rede Procura+ Portugal.

Público-alvo: Decisores políticos da administração pública, técnicos envolvidos diretos e indiretamente nos processos de compras, representantes de empresas privadas, organizações não-governamentais e outras entidades com interesse na temática. 

Inscrições: Gratuitas, mas obrigatórias.

 

Mais aqui.

publicado por saqv_ps às 18:47

Quarta-feira, 08 de Fevereiro de 2012

A Sanest vai colaborar com a Quercus no desenvolvimento de atividades de conservação e recuperação da flora e vegetação na micro-reserva biológica da Peninha (Parque Natural de Sintra-Cascais), integrada na rede de 13 micro-reservas que são geridas por esta associação de conservação da natureza.

 

A colaboração, formalizada com a assinatura de um protocolo no dia 1 de fevereiro, permitirá dar continuidade às ações que a Quercus tem vindo a desenvolver no terreno desde 2006, em particular no apoio ao processo de erradicação de espécies exóticas.

 

Também no âmbito desta colaboração será efetuada florestação especialmente vocacionada para a recuperação do carvalhal de carvalho-negral (Quercus pyrenaica) e a eliminação de silvados e manutenção de espaços mais abertos adequados ao desenvolvimento das espécies arbustivas e herbáceas onde se inclui o cravo-romano (Armeria pseudoarmeria).

 

Serão ainda repostos os painéis informativos com referência aos valores naturais aqui presentes (geologia, flora e fauna e regras para visitação), e feita também a reparação e manutenção das vedações que existem ao longo dos caminhos que limitam e atravessam a área, permitindo que a mesma seja visitada sem danos para as espécies que constituem o alvo de conservação.

 

Esta iniciativa vai ao encontro da política de responsabilidade empresarial da Sanest, no âmbito da qual a empresa pretende participar de forma ativa na comunidade, em particular, na área ambiental, promovendo ações que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável da região onde opera, neste caso, o apoio à realização de atividades de conservação e recuperação da flora na sua área de abrangência.

 

A Sanest é a empresa do grupo AdP responsável pela recolha, tratamento e rejeição das águas residuais provenientes dos municípios da Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra, servindo um aglomerado populacional de cerca de 800.000 e.p. (equivalente populacional), abrangendo uma área de 220km2.

 

Fonte: AdP

 

publicado por saqv_ps às 13:27

Segunda-feira, 06 de Fevereiro de 2012

O projeto contactou um universo inicial de cerca de 6.000 escolas do 1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico de Portugal Continental e Açores e Madeira. São 1.657 escolas aderentes e 108 escolas que confirmaram a sua participação no Concurso Brigadas Positivas.

 

Este ano o projeto conta com mais uma iniciativa, a versão online do Jogo GalpShare "Cabemos Todos" que aborda a mobilidade sustentável, com vista a promover a utilização dos veículos automóveis de forma responsável, através da partilha dos mesmos com outras pessoas.

 

Foi ainda lançado às escolas aderentes um Campeonato de Escolas GalpShare, para a dinamização deste jogo online. Este Campeonato terá duas fases: na primeira fase as escolas inscritas deverão organizar minitorneios dentro da escola, sendo que no final desta fase são escolhidos os 3 melhores jogadores de cada escola. Na segunda fase apenas esses 3 jogadores apurados de cada escola, irão competir entre si, ou seja, entre escolas.

 

Fonte: Planeta Azul

publicado por saqv_ps às 13:28

Quinta-feira, 02 de Fevereiro de 2012

Desenvolvimento Sustentável - Correntes e polémicas em tempos difíceis

 

Artigo de Soromenho-Marques, publicado na revista DIRIGIR e que vale a pena ler na íntegra, disponibilizado aqui.

publicado por saqv_ps às 13:18

Terça-feira, 31 de Janeiro de 2012

A sua casa já tem certificado energético?
Já leu a informação que consta do seu certificado?
Sabe quais as oportunidades de melhoria indicadas para a sua casa?

 

DÊ USO ao seu CERTIFICADO ENERGÉTICO! - Inscreva-se no projecto REQUEST.

 

A ADENE, em parceria com a Lisboa E-Nova promove o projecto REQUEST, que tem como objectivo fomentar a implementação das oportunidades de melhoria identificadas no Certificado Energético da sua habitação.

Ao implementar estas medidas está a melhorar o conforto da sua casa, enquanto reduz a sua factura energética e as emissões de CO2 a ela associadas.
Oferecemos-lhe apoio técnico gratuito para que saiba quais as melhores oportunidades de melhoria, as soluções técnicas mais adequadas e a melhor proposta financeira para aumentar a eficiência energética da sua casa.

Na concretização da intervenção aconselhada recebe ainda, gratuitamente, um novo certificado com a classe energética obtida.

 

CONDIÇÕES PREFERENCIAIS DE PARTICIPAÇÃO:
Habitações no Concelho de Lisboa, com certificado energético, classificação C ou inferior, construção entre as décadas 70-90.

 

SAIBA MAIS:
Tel.: 218 847 010

E-mail: joaogameiro@lisboaenova.org
Inscrições abertas até dia 29 de Fevereiro de 2012.

Fonte: Lisboa E-Nova

publicado por saqv_ps às 08:14
tags:

Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

Após a publicação da Lei Orgânica do Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território (MAMAOT) no passado dia 17 de janeiro, o processo de reestruturação do ministério nas áreas do ambiente e do ordenamento do território fica concluído com a publicação das leis orgânicas dos serviços e entrada em funções das equipas da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e Direção-Geral do Território (DGT).

 

Na nova APA, que passa para a administração indireta do Estado, vão ser integrados o Instituto da Água, as cinco Administrações das Regiões Hidrográficas (ARH), a Comissão para as Alterações Climáticas (CAC), o Comité Executivo da CAC, a Comissão de Acompanhamento de Gestão de Resíduos e a vertente de planeamento estratégico do Departamento de Planeamento e Prospectiva (DPP).

 

A criação da DGT resulta da fusão da Direção-Geral de Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (DGOTDU) e do Instituto Geográfico Português (IGP).

 

Nuno Lacasta, especialista em políticas de ambiente e direito internacional, é quem vai assumir a direção-geral da futura Agência Portuguesa do Ambiente. Já Paulo Correia é o nome do dirigente que vai ficar à frente da futura Direção-Geral do Território, cuja equipa tomou posse no passado dia 18 de janeiro.

 

Segundo Pedro Afonso de Paulo, a revisão da Lei de Bases do Ambiente, que data de 1987, é uma das prioridades elencadas para o primeiro trimestre deste ano pelo Governo e pela nova equipa da APA, a par da revisão de planos considerados estruturantes para o Ambiente, bem como da revisão do Plano de Ação para o Litoral 2007-2013 – cuja execução financeira é apenas de 17%. Do conjunto de prioridades da APA, fazem ainda parte o lançamento de uma iniciativa que visa a promoção do uso eficiente de recursos e a definição de caminhos possíveis para a transição para uma economia de baixo carbono, numa articulação com o Roteiro Nacional de Baixo Carbono. Em preparação está também um protocolo-quadro com os municípios, de adesão voluntária, com vista a uma maior participação ao nível da elaboração dos planos e à delegação de competências em matéria de recursos hídricos, nomeadamente em matéria de licenciamento e fiscalização de apoios de praia e de pequenas intervenções e requalificações em linhas de água. O protocolo-quadro abrirá ainda a possibilidade aos municípios de prestarem serviços associados a limpezas de linhas de água e outras intervenções. Em matéria de resíduos, pretende-se, entre outras medidas, fomentar formas práticas para uma mais eficiente articulação entre os planos considerados estruturantes nesta área, bem como reforçar o papel da entidade reguladora junto dos diversos fluxos de resíduos.

Por sua vez, e em articulação com a revisão da Lei de Bases do Ambiente, a nova equipa da DGT vai dar prioridade neste primeiro trimestre ao processo de revisão da Lei de Bases do Ordenamento do Território e Urbanismo em conjunto com a revisão da Lei de Solos e do regime de mais-valias, fundindo-os num só diploma. De entre as prioridades elencadas para os primeiros meses deste ano destaca-se ainda a revisão do diploma da Reserva Ecológica Nacional. “O objetivo é levar a cabo uma reformulação do Regime Jurídico da Reserva Ecológica Nacional atualmente em vigor, através de uma nova regulamentação dos riscos naturais e tecnológicos, introduzindo e compatibilizando as questões do domínio hídrico com a alteração à Lei da Água e a nova Lei de Bases do Territórios e do Solo”, explica o Secretário de Estado.

A futura DGT pretende ainda criar as condições que permitam reunir a informação de natureza cadastral existente dispersa no País. Finalmente, é ainda um objectivo prioritário a constituição de um Observatório do Ordenamento do Território e Urbanismo, que reúna as competências atualmente dispersas entre diversos organismos e que contribua, entre outros, para a implementação do Sistema Nacional de Indicadores do Território.

 

Composição da equipa Agência Portuguesa de Ambiente:

Diretor-Geral: Nuno Lacasta
Subdiretor-geral: Manuel Lacerda
Subdiretora-geral: Inês Diogo
Subdiretor-geral: Paulo Lemos

Composição da equipa da Direção Geral do Território:

Presidente: Paulo Correia
Subdiretora geral: Maria José do Vale
Subdiretora geral: Maria Manuel da Cruz
Subdiretor geral: Rui Alves


*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

 

Fonte: Naturlink

publicado por saqv_ps às 12:40

Sábado, 28 de Janeiro de 2012

No arranque da iniciativa, lembrou-se o camarada Norberto Duarte, falecido no ano passado, membro da Secção de Ambiente e Qualidade de Vida e que ambicionava organizar uma iniciativa sobre o Mar. Esta iniciativa foi em sua homenagem.

 

A apresentação dos convidados oradores ficou a cargo de Moisés Gil, Coordenador da Secção do Desenvolvimento Sustentável, que apresentou o Marcos Perestrello (Deputado, membro da Comissão de Defesa da AR, ex-Secretário de Estado da Defesa e do Mar, Presidente da FAUL) e Filipe Duarte (Eng. e especialista do sector naval, premiado com o BES Inovação 2007 e GALP Inovação 2010). Infelizmente o camarada Renato Sampaio (Deputado, membro da Comissão de Agricultura e Mar da AR, Presidente da Federação do Porto do PS) não pode ir por razões pessoais.

 

  

 

O camarada Marcos Perestrello fez uma breve introdução histórica da relação do povo português e o mar, falou que o aproveitamento dos recursos marinhos depende do conhecimento e capacidade de inovação para explorar e abordar esses recursos e que o conhecimento é a base de todas as formas de exploração deste recurso; referiu a estratégia da CPLP para os Oceanos que este, como governante do PS, promoveu; referiu que esta vai desde a cooperação para a extensão de todas as plataformas continentais dos países da CPLP e inclui a colaboração de políticas e estratégias do mar em todos os países desta comunidade.

Falou da nossa proposta  na ONU para a extensão da plataforma continental portuguesa e referiu também que foi no seu mandato que o cluster dos negócios do Mar foi criado. No seu seguimento foi criada uma Associação empresarial ligada à exploração dos recursos marinhos. Deu uma forte relevância há Campanha Oceanográfica de Junho de 2010 ao largo das Selvagens referindo que, quando os resultados da mesma forem publicados na sua totalidade será um forte contributo para o aproveitamento e exploração dos recursos marinhos. Por fim terminou com os desafios que este acha que se irão pôr, falou sobre o desenvolvimento do cluster dos negócios ligados ao mar, dos projectos que o PS lançou na aquicultura industrial (que num dos projectos irá duplicar a actual capacidade de produção nacional), lotas e nas energias renováveis e que estas devem ser encaradas como uma oportunidade e dos problemas que alguns desses projectos hoje enfrentam, da aposta e referência do Presidente da República a esse sector e que tem esperança que o mesmo seja fonte de motivação para se continuar a investir no sector.

 

O Filipe Duarte fez uma apresentação em power point e em traços gerais mostrou:

- os projectos navais em que Portugal tem estado envolvido;

- as candidaturas submetidas ao abrigo de diversos programas de apoio da UE e nacionais;

- os investimentos que se estavam a realizar e iriam realizar.

 

Falou também das perspectivas e desafios futuros desta indústria e de como os nossos quadros de engenheiros navais estavam praticamente todos lá fora, havendo fraca incorporação portuguesa dos projectos realizados nesta área ao nível da investigação, dando o caso excepcional de evolução (positiva) do Projecto Pelamis Wave Power de Peniche, que já incorpora troca de know how e portugueses.

Referiu a dificuldade de criação de novos players/agentes/empresas que invistam nesta área e a já responsabilidade que temos numa área enorme que controlamos nos meios de busca e Salvamento Oceânicos (que vai desde o Sul do Canadá até ao norte de Cabo Verde).

 

 

 

Perguntas e temas lançados e discutidos entre os convidados e os oradores:

  • - Exploração da aquicultura industrial. Problemas e desafios;
  • - Papel das lotas e preços que as grandes empresas de distribuição fazem aos pescadores acabando com o sector;
  • - Papel de Portugal na atracção da carga internacional e como potenciar essa atracção;
  • - Energias Renováveis e desafios...e se houve desinvestimento neste sector;
  • - Promoção da indústria naval;
  • - Como delinear uma estratégia eleitoral autárquica para Mafra em que se incluam estes assuntos;
  • - Encarar o Mar como uma oportunidade económica;
  • - Meios de Busca e Salvamento Oceânica, verdadeira abrangência e a importância de Portugal nesta área.

A conclusão foi efectuada pela Cátia Santos, da Secção do Ambiente e Qualidade de Vida do PS, que resumiu o debate e os desafios que se colocam sobre este tema e acabou referindo a frase de Virgílio Ferreira: "Da minha língua vê-se o mar".

 

A iniciativa contou com muitas dezenas de participantes, tendo vários vindo saudar no final a organização da iniciativa, o tema em debate e os oradores, expressando vontade de participar noutras iniciativas a promover pela Secção.

 

 

Agradece-se ao Sandro Pires pelo resumo que fez da iniciativa.

 

publicado por saqv_ps às 13:10

Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

 

 

Venha discutir as oportunidades que o Mar nos oferece. Contamos com a sua presença e participação!

Inscrições e mais informações através do e-mail seccao_ambiente@ps.pt

publicado por saqv_ps às 13:03


mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...
subscrever feeds