Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

O papel dos agricultores no xadrez do clima global poderá ganhar nova relevância se escolherem plantar culturas com benefícios climáticos. Estas variedades "amigas do clima" têm maior capacidade para reflectir a luz do Sol de volta para o espaço e poderão fazer baixar a temperatura, concluiu uma equipa de cientistas britânicos da Universidade de Bristol.

Utilizando um modelo climático global, os cientistas concluíram que esta estratégia poderia fazer baixar até 1ºC as temperaturas à superfície durante o Verão e aliviar os efeitos das ondas de calor e episódios de seca. Andy Ridgwell, que coordenou o estudo publicado na revista "Current Biology", acredita que a escolha das variedades agrícolas pode traduzir-se numa redução de 20% no aumento de 5ºC previsto para a Europa, América do Norte e Norte da Ásia até ao final do século.

"Descobrimos que diferentes variedades da maioria das colheitas agrícolas diferem na quantidade de energia solar que reflectem de volta para o espaço", comentou Ridgwell. "Quanto mais energia devolveres, mais baixas serão as temperaturas".

Andy Ridgwell explicou ao PÚBLICO que decidiu investigar este contributo da agricultura no combate às alterações climáticas porque esta é uma actividade de âmbito global, praticada em todo o mundo, e porque "as plantações agrícolas já arrefecem o clima, uma vez que reflectem mais radiação solar do que a vegetação natural".

Governos e investigadores estudam formas para tentar abrandar a subida das temperaturas. A ideia deste estudo, salienta Ridgwell, tem a vantagem de ter custos baixos e não compete com a produção de alimentos. "Podemos continuar a plantar milho mas podemos escolher uma variedade que tenha um maior benefício climático.".

No entanto, lembrou, "ainda há pouca informação sobre as capacidades reflectoras de diferentes variedades de espécies".

"O nosso próximo passo", adiantou ao PÚBLICO, "é investigar em pormenor até que ponto diferem as variedades de plantas e porquê".

Para que a ideia deixe de o ser e passe à prática, Ridgwell considera que é preciso primeiro identificar quais as espécies mais "amigas do clima". "Mas, à parte disso, a substituição de uma variedade por outra pode ser conseguida em apenas um ano".

Os agricultores que abraçarem a sua causa climática poderão receber créditos de carbono para os incentivar a plantar estas variedades "amigas do clima", lembrou Ridgwell.

A equipa de investigadores gostaria que esta ideia fosse seriamente considerada por decisores políticos e integrada nos sistemas de atribuição de subsídios aos agricultores.

Fonte: Público
publicado por saqv_ps às 13:58

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 




mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
23
24

25
26
28
29
30


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...
subscrever feeds