Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007

cl_8240.jpgGeorge W. Bush não quer o Protocolo de Quioto. Mas um grupo de governadores norte-americanos é esperado em Lisboa, na próxima segunda-feira, para dizer que está disposto a fazer a sua parte para conter o aquecimento global.

A lista inclui os governadores da Califórnia, Nova Iorque, Nova Jersey e Florida - embora este último ainda não esteja confirmado. Virão em representação de associações regionais de Estados norte-americanos, que estão interessados em estreitar relações com a União Europeia na área das alterações climáticas.

O resultado é a iniciativa International Carbon Action Partnership (ICAP), cujos mentores são a presidência portuguesa da UE e o estado da Califórnia, liderado pelo seu mediático governador, Arnold Schwarzenegger. Apesar dos avassaladores incêndios que têm varrido a Califórnia, não havia, ontem, indicação de que Schwarzenegger cancelaria a presença no lançamento da ICAP.

Apenas alguns Estados-membros da UE estarão envolvidos. Juntamente com os estados norte-americanos, assinarão uma declaração comum, uma espécie de carta de intenções de colaboração no campo das estratégias de redução de emissões de dióxido de carbono.

Também a Noruega, a província canadiana de British Columbia e, possivelmente, a Nova Zelândia, vão assinar a declaração.

A sintonia da UE com alguns governadores norte-americanos contrasta com a sua oposição à política da Administração Bush quanto ao problema do aquecimento global. Bush é contra a ideia de limites obrigatórios de emissões de gases com efeito de estufa. A UE não só a defende, como está disposta a cortar até 30 por cento as suas emissões até 2020, se todos os países desenvolvidos o fizerem.

Uma das áreas em que a ICAP poderá agir é a do mercado de carbono. Alguns estados norte-americanos têm revelado interesse no comércio europeu de licenças de emissões, que já está em vigor desde 2005 e que obriga um conjunto de sectores industriais a controlarem o dióxido de carbono que sai das suas chaminés.

Vários governadores norte-americanos têm-se batido contra a política de Bush. A Califórnia e Nova Iorque, por exemplo, estão na lista dos dez estados que processaram a Agência de Protecção Ambiental norte-americana, no ano passado, por não fixar limites de dióxido de carbono para as centrais térmicas.

O procurador estadual que liderou este processo, Eliot Sptizer, é o actual governador de Nova Iorque.

Ecoesfera/Ricardo Garcia
publicado por saqv_ps às 08:03

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 




mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
19
20

21
23
25
27

28
30


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...
subscrever feeds