Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Quinta-feira, 20 de Julho de 2006

a159252231gbeAPi_ph.jpgOs carros pequenos foram proibidos nas estradas principais de Pequim há menos de uma década, porque os padrões da China eram os de as encher com automóveis modernos, grandes e lustrosos.

Hoje, a poluição, os engarrafamentos de tráfego e a dependência crescente do petróleo importado, forçaram uma alteração radical, que vai tornar a China um pioneiro, improvável, de alguns dos padrões mais apertados na eficiência de combustível no mundo e dos limites mais estritos das emissões.

Os políticos, preocupados com o futuro, estão conduzindo o utilizador - do segundo maior consumidor de petróleo do mundo - para um caminho muito diferente do campeão mundial do consumo, os USA, onde os impostos baixos e os padrões de estética conduziram a população ao hábito de viajar de automóvel, com veículos energeticamente ineficientes.

As medidas tomadas por Pequim não ajudarão a lidar com uma procura de petróleo esperada com uma expansão de 5 por cento, ou mais, nos próximos cinco anos (duas vezes a taxa dos E.U.), mas podem impedir que a cultura do grande-carro favoreça um crescimento mais rápido nas décadas seguintes.

A China queima tanta gasolina quanto o Japão, mas tem 10 vezes mais população. No entanto o transporte privado, admite-se agora, subirá aos 60 por cento em 2020 contra os 30 por cento actuais. Recorde-se que os políticos comunistas que definiram a indústria automóvel como um pilar da economia chinesa, sempre se mostraram indiferentes à destruição dos recursos naturais da China, colocando o crescimento económico acima dos interesses ambientais.

Porém, uma classe média crescente na China, exige agora um ar e ambiente mais limpos. Razão pela qual Pequim está incentivando o fabrico de carros de pequena cilindrada e impôs impostos sobre os automóveis mais potentes. Por outro lado, tem vindo a incentivar experiências com veículos a biofuel, hidrogénio e híbridos. Mas com a vendas de veículos a subirem 50 por cento este ano, os motores mais pequenos ainda terão dificuldades de afirmação.

A China tinha uns 24 milhões de carros na estrada nos finais de 2005, mas se o uso do carro aproximasse níveis dos USA, em 2031 este número poderia subir para mil milhões de veículos.

A gasolina custa aproximadamente $2.40 um galão, cerca de 50 centavos menos do que o preço médio nos Estados Unidos na última semana, mas metade do preço na Europa
publicado por saqv_ps às 09:11


mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
15

16
19
21
22

23
26
28
29

30


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...
subscrever feeds