Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Quinta-feira, 05 de Julho de 2007

UE.jpgA Comissão Europeia promove, entre hoje e sexta-feira, uma Conferência Mundial sobre Biocarburantes, na qual participarão líderes políticos como o presidente do Brasil, Lula da Silva, o presidente em exercício da UE, que é o primeiro-ministro português, José Sócrates, o líder da Comissão Europeia, Durão Barroso, assim como académicos e representantes de companhias do sector.
Os principais biocombustíveis são:

- Bioetanol: este álcool, que se utiliza como combustível para veículos, normalmente misturado com outros carburantes, obtém-se a partir de açúcares ou produtos orgânicos como a beterraba, os cereais, o trigo e a cana de açúcar (cuja produção o Brasil lidera). Na UE, utiliza-se uma modalidade deste combustível, o chamado ETBE (o éter etilter-butil).

- Biodiesel: Este biocombustível sintético líquido obtém-se a partir de gorduras naturais como azeites de palma, girassol, colza ou soja. Também são conhecidos como biogasóleo ou diester. Em Espanha é possível comprar biodiesel, misturado com combustível fóssil, em mais de 250 gasolineiras. Em Portugal, também é possível adquirir biodiesel, mas em menor número de postos de abastecimento. Durante a guerra colonial, há trinta anos, viaturas pesadas portuguesas Berliet-Tramagal já utilizavam óleo de palma como combustível, dadas as dificuldades de reabastecimento das zonas mais remotas no interior de Angola.

- Biogás: Este combustível obtém-se a partir das reacções de degradação da matéria orgânica. Chama-se biogás à mistura constituída por metano CH4 e dióxido de carbono, para além de outros gases como hidrogénio, nitrogénio e sulfureto de hidrogénio.

- Biocarburantes de segunda geração: além dos biocarburantes tradicionais existem outros de segunda geração, produtos que na sua maioria estão em fase de desenvolvimento e que ainda não se comercializam.

Entre estes, destaca-se o obtido a partir da transformação de linhocelulosa ou pasta de papel, em cujo desenvolvimento já se trabalha em três fábricas-piloto na UE, sedeadas na Espanha, Suécia e Dinamarca.

Este biocarburante também recebeu o impulso do governo norte-americano, com 385 milhões de dólares em 2007.

Estão a ser investigadas outras tecnologias para converter a biomassa em biocarburantes líquidos, como o biodiesel Fischer-Tropsch e o bio-DME (biodimetileter) ou o gás natural sintético, que se pode produzir tanto a partir de recursos fósseis como renováveis.

Vantagens e inconvenientes dos biocarburantes: apesar das vantagens dos biocombustíveis, estes também suscitam críticas como a possibilidade de que possam fazer disparar os preços dos alimentos de primeira necessidade, por causa da matéria agrícola que se destina a estes carburantes ou dúvidas sobre os seus verdadeiros benefícios ambientais.

O biodiesel emite menos CO2 para a atmosfera - entre 50 a 60 por cento do que os outros combustíveis tradicionais -, pelo que, à priori, resulta mais favorável para o meio ambiente.

Mas, como as emissões contaminantes persistem, embora em menores quantidades, alguns especialistas advogam a necessidade de aumentar as colheitas de cereais para absorver o CO2.

Outras vantagens atribuídas aos biocombustíveis é que permitem reduzir a dependência das importações de combustíveis tradicionais e criam novas oportunidades de mercado para o sector agrícola.

Os mais críticos denunciam que se esteja a utilizar matérias-primas alimentares para o fabrico de biocarburantes.

Pensa-se que um aumento da utilização destes produtos agrícolas para o fabrico de bioetanol poderia provocar o encarecimento destes produtos básicos, como ocorreu o ano passado no México com o milho, ingrediente básico para o fabrico de tortilhas.

As organizações ambientais temem que a extensão das monoculturas, para produzir bioetanol e biodiesel, provoque uma redução dos habitats animais e a desflorestação de áreas como a Amazónia.

Por outro lado, outros cépticos sublinham que as viaturas não estão preparadas para abastecer-se de uma mistura de bioetanol superior a 10 por cento, pelo que o mercado deste biocombustível é limitado sem a prévia transformação dos veículos.

No passado mês de Março, os líderes da UE comprometeram-se a que, até 2020, 20 por cento da energia consumida nos seus países provenha de fontes renováveis, com um mínimo de 10 por cento de biocombustíveis no caso da gasolina e gasóleo para transporte.

O biodiesel ocupa o primeiro lugar entre os biocombustíveis mais utilizados na UE, com cerca de três milhões de toneladas, seguido pelo biodiesel, com 877 mil toneladas, e outros tipos de carburantes ecológicos - essencialmente o biogás -, com 649 mil toneladas.


Lusa / SOL
publicado por saqv_ps às 09:54

Onde eu posu caber presos e dados tecnicos para fabricas d biodisel e biogas
Andre a 11 de Novembro de 2007 às 19:34



mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

15
17
20
21

22
24
26
28

29
31


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...