Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

mobilbesource.jpgCálculos da Organização Mundial de Saúde ( OMS), baseados nas estatísticas de saúde nacionais relativas a 2004, indicam que os problemas ambientais estão relacionados com 14% das doenças registadas em Portugal e causam a morte de, pelo menos, 15 mil pessoas anualmente.

Os problemas ambientais provocam infecções respiratórias, cancro e doenças cardiovasculares, entre outros problemas de saúde, destaca a OMS, revelando que anualmente morrem 1.900 portugueses por doenças directamente relacionadas com as más condições atmosféricas.

O cancro, e em particular o cancro do pulmão, são responsáveis por grande parte das mortes, revela a OMS.

A análise da OMS também conclui que os problemas ambientais «roubam» 20 anos de vida saudável por cada 1.000 portugueses, numa escala que vai de 14 a 316 anos e onde entre os piores colocados surgem países como Angola, Burkina Faso, Mali e Afeganistão.

O estudo Fardo Ambiental das Doenças é o primeiro a traçar em cada país o impacto dos problemas ambientais, que, estima a OMS, causam anualmente 13 milhões de mortes em todo o mundo.

Os factores ambientais considerados no estudo da OMS são a poluição, ocupação das populações, radiações ultra-violeta, poluição sonora, métodos agrícolas, alterações do clima e ecossistemas, o tipo de construção e comportamentos.

O estudo, afirma a OMS, «mostra que 13 milhões de mortes poderiam ser prevenidas anualmente com a melhoria das condições ambientais. Em alguns países, mais de um terço do fardo de doenças poderia ser evitado».

A falta de qualidade da água, incluindo saneamento e higiene deficiente, e poluição dentro-de-portas, devido ao uso de combustíveis fósseis para preparação de alimentos e aquecimento, é responsável por mais de 10% das mortes em 23 países.

As principais vítimas são as crianças com menos de cinco anos, que representam 74% das vítimas devidas a diarreias e infecções respiratórias.

Os países com baixos rendimentos perdem cerca de 20 vezes mais anos de vida saudável por pessoa do que os que têm altos rendimentos, indicam ainda as estatísticas da OMS.

Contudo, refere, «nenhum país é imune ao impacto ambiental na saúde; mesmo em países com melhores condições ambientais, os dados indicam que um sexto do fardo de doenças poderia ser previnido e que intervenções ambientais eficezes poderiam reduzir significativamente as doenças cardiovasculares e ferimentos causados por acidentes rodoviários».

Entre as intervenções recomendadas pela OMS estão a substituição de combustíveis fósseis nos lares por gás e electricidade e melhoria da ventilação, modificação dos comportamentos, sobretudo afastar as crianças do fumo.

Diário Digital / Lusa
publicado por saqv_ps às 08:51

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 




mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
16

17
19
21
23

24
26
28
30


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...
subscrever feeds