Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Terça-feira, 02 de Janeiro de 2007

euro.jpgO Conselho de Ministros aprovou, a semana passada, oito contratos de investimento, num total de cerca de 1695 milhões de euros. Entre estes incluem-se os referentes aos projectos de investimento com vista à expansão e modernização da unidade industrial da Celbi e da Repsol Polímeros, e à construção da unidade da Biovegetal - Combustíveis Líquidos Vegetais.

O projecto da Biovegetal, que envolve um investimento de 27 milhões de euros, visa a instalação e equipamento de uma unidade industrial em Vila Franca de Xira, destinada à produção de cem mil toneladas por ano de biodiesel. Além da criação de 21 postos de trabalho, com este projecto prevê-se alcançar um valor acrescentado acumulado de cerca de 15,5 milhões de euros no final de 2010 e de cerca de 41,8 milhões de euros no final de 2015, ano do termo da vigência do contrato.

Foram também aprovadas as minutas do contrato de investimento a celebrar pelo Estado Português, a La Seda de Barcelona e a Artensa – Produção e Comercialização de Ácido Tereftálico Purificado e Produtos Conexos, que tem por objecto a construção e equipamento de uma unidade industrial em Sines.

A futura unidade industrial da Artensa terá uma capacidade de produção de 700 mil toneladas/ano produção de PTA (ácido tereftálico purificado), sobretudo destinadas ao mercado externo. Um projecto que contribuirá para a «consolidação do cluster petroquímico da região de Sines». O investimento em causa supera os 360 milhões de euros, prevendo-se a criação de 150 postos de trabalho e o alcance de um valor de vendas acumulado de 1380 milhões de euros no final de 2012 e de 3307 milhões de euros no final de 2016.

Foram ainda aprovados os termos dos contratos com vista à expansão e modernização da unidade fabril da Celulose Beira Industrial (Celbi), na Figueira da Foz, com vista a potenciar um aumento da capacidade produtiva e das exportações, num investimento de 320 milhões de euros. Também a Repsol YPF, Repsol Química e Repsol Polímeros viram aprovadas as minutas do contrato a celebrar com vista à expansão e modernização do complexo de Sines. Em causa está a ampliação do cracker para cerca de 570 KTA, a construção de uma fábrica de polipropileno e de uma fábrica de polietileno linear, que consumam o etileno e o propileno produzidos no complexo, bem como a construção de uma unidade de co-geração com turbinas a gás. Ao todo, serão investidos 750 milhões de euros.

Entre o pacote de aprovações em sede de Conselho de Ministros contam-se ainda os projectos de ampliação e modernização dos espaços multifuncionais da Movida – Empreendimentos Turísticos (37,7 milhões de euros), de criação de uma unidade de moagem de clínquer com uma capacidade nominal de 1,5 milhões de toneladas/ano e de um terminal portuário no Porto de Setúbal para a recepção de mercadorias e expedição de produtos num contrato a celebrar entre o Estado, a Plêiade – Instrumentos e Participações e CNE – Cimentos Nacionais e Estrangeiros (118 milhões de euros). Inclui-se ainda o projecto de modernização da unidade industrial gráfica da Mirandela - Artes Gráficas, num investimento de 49 milhões de euros, a aplicar nomeadamente em medidas de racionalização dos consumos energéticos através da construção de uma central de co-geração e no registo no EMAS (Eco-Management and Audit Scheme).
publicado por saqv_ps às 08:39


mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
16
18
19
20

21
23
24
26
27

28
30
31


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...