Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Quinta-feira, 05 de Março de 2009

 

 

 

A maioria dos portugueses (69 por cento) não concorda com a privatização ou gestão privada dos serviços de abastecimento de água e saneamento. Segundo os resultados de uma sondagem da Marktest, encomendada pelo Sindicado Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), 77,4 por cento dessa fatia da população considera que a privatização põe em causa «o acesso à água de pessoas de menores rendimentos».

 

Cerca de 89,8 por cento da população é servida por redes de abastecimento de água; 82,9 por cento tem recolha e tratamento do lixo; a rede de saneamento e esgotos chega a 79,7 por cento; e a recolha selectiva a 71,9 por cento.

A maioria dos inquiridos (93,9 por cento) beneficia de pelo menos um serviço prestado por entidades públicas. Só 22,2 por cento afirmou utilizar um serviço (água, saneamento, recolha ou tratamento de lixo) prestado por empresas privadas.

 

É no sector dos resíduos urbanos que o peso dos privados se faz sentir mais, tendo sido assinalado por 15,8 por cento das respostas. A sua presença no abastecimento de água foi notada por 9 por cento, enquanto na actividade de saneamento apenas 3,6 por cento dos inquiridos afirma serem servidos por empresas privadas.

A sondagem revelou que a maioria da população está satisfeita ou muito satisfeita com os serviços prestados. Numa escala de 0 a 10, as classificações médias mais elevadas foram atribuídas aos serviços de água, designadamente em relação à «continuidade do fornecimento de água» (8 por cento) e à «qualidade da água distribuída» (7,4 por cento).

 

A maioria de pessoas (86,7 por cento) respondeu que a protecção do meio ambiente constitui uma característica «importante» ou «muito importante» da gestão dos serviços públicos. Seguem-se como critérios prioritários a «qualidade» (85,9 por cento), «universalidade de acesso» (83,5 por cento), «boas condições de trabalho dos funcionários» (81,9 por cento), «participação dos cidadãos» (80 por cento) e «transparência das decisões» (72,6 por cento).

Fonte: Ambienteonline.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por saqv_ps às 11:11


mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
28

29
31


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...