Este Blog pretende ser também um traço de união entre quem sente, interpreta e decide o Ambiente e a Qualidade de Vida.
Terça-feira, 05 de Maio de 2009

Comente...

 

publicado por saqv_ps às 11:16

Claro que não.
Privatização para quê. A água é um bem público. Fonte da vida e causa de disputas várias. A maioria das guerras e das disputas no planeta tem origem em conflitos ligados à posse do bem "água". Por outro lado o Estado, qualquer Estado, dá-se mal na função de regulador. A actual crise é disso exemplo. A actual crise é também exemplo de que os Estados não devem privatizar - ou concessionar - a privados - os serviços ligados à gestão dos recursos hídricos.
Por fim, avançar com essa privatização nos tempos que correm é ir contra a corrente. Por dois motivos.
Primeiro porque estamos a atravessar uma fase em que, com a actual crise, há um consenso generalizado de que a grande maioria dos serviços - utilities - devem ser públicos. Segundo, porque à escala mundial se assiste a um movimento contrário à privatização desses serviços. No Reino Unido e nos Estados Unidos assiste-se, pelo contrário ao resgate de concessões pelos municípios que estão presentemente nas mãos dos privados.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Claro que não. <BR>Privatização para quê. A água é um bem público. Fonte da vida e causa de disputas várias. A maioria das guerras e das disputas no planeta tem origem em conflitos ligados à posse do bem "água". Por outro lado o Estado, qualquer Estado, dá-se mal na função de regulador. A actual crise é disso exemplo. A actual crise é também exemplo de que os Estados não devem privatizar - ou concessionar - a privados - os serviços ligados à gestão dos recursos hídricos. <BR>Por fim, avançar com essa privatização nos tempos que correm é ir contra a corrente. Por dois motivos. <BR>Primeiro porque estamos a atravessar uma fase em que, com a actual crise, há um consenso generalizado de que a grande maioria dos serviços - utilities - devem ser públicos. Segundo, porque à escala mundial se assiste a um movimento contrário à privatização desses serviços. No Reino Unido e nos Estados Unidos assiste-se, pelo contrário ao resgate de concessões pelos municípios que estão presentemente nas mãos dos privados. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>M.Marques</A>
mANUEL mARQUES a 5 de Março de 2009 às 19:26



mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
26
27
28

31


Últ. comentários
pelo visto o plano do governo nao deu certo..
"Se as contas forem feitas de acordo com toda a ág...
Sinceramente estava mais que na altura... já a his...
Como é que é possível a média em Portugal ser de 1...
é isso ai, Alan, vc já expressou mto bem as palavr...
Parabéns á Sofia Guedes Vaz, pelo belo projeto des...
hf4YJU <a href=\"http://ukuhehkemvit.com/...
Está na hora do PS se ir embora
"As empresas de construção têm à sua disposição um...
Realmente, como é que jornalistas e quercus fazem ...